quinta-feira, 5 de abril de 2012

ITÁLIA 4 - TOSCANA E BOLOGNA

INTRODUÇÃO

Apresento agora a quarta postagem da série "Itália" sobre duas maravilhosas regiões da Itália: Toscana e Emilia Romana. A Toscana é uma região situada ao Norte de Roma e ao sul de Genova e Bolonha (Bologna em Italiano). Esta região é banhada, na sua parte oeste, pelo Mar Mediterrâneo.


A Toscana é o berço do Renascimento Italiano e possui sete localidades declaradas patrimônio da humanidade: os centros históricos de Florença (a capital da região da Toscana), de Siena, de Pienza, de San Gimignano, a praça da catedral e torre de Pisa e o  Val d’Orcia, além de Não admira que seja um dos maiores destinos turísticos do mundo, com mais de 10 milhões de visitantes por ano. O site oficial de turismo da região é: http://www.intoscana.it/


Florença, Siena e a área de Chianti ficam na Região da Toscana. Bolonha localiza-se na região chamada Emilia Romana, delimitada ao Norte pela região de Veneto e ao sul pela região da Toscana. Bolonha possui uma posição estratégica, em um dos cruzamentos de transportes (rodoviários e ferroviários) mais importantes da Itália.

Foto 2 - Catedral de Siena. O belíssimo trabalho de Pisano que emocionou o grande músico e compositor Richard Wagner.

Nós ficamos hospedadas na cidade de Florença, de onde partíamos em passeios de um dia ou de meio dia para conhecer lugares encantadores e charmosos. Florença fica a menos de 2 horas de Roma (trem rápido) e Bolonha fica a cerca de 40 minutos de Florença.

Entre as cidades mais importantes da Toscana, além de Florença estão: Pisa, Arezzo, Siena, San Gimignano, Lucca, Cortona, Montepulciano, Pienza, Volterra. Todas estas cidades estão em um raio de distância de Florença que varia de 40 km a pouco mais de 100 km. Este fato permite fazer excursões de um dia e meio dia.

TOSCANA CENTRAL: CHIANTI E SIENA

A Toscana é a terra dos vinhos Chianti, de Leonardo Da Vinci, Michelângelo e das famílias Medicis e Gucci. É reconhecida como uma das regiões mais ricas, cultas e belas da Itália e de gastronomia riquíssima e tradicional.

Foto 3 - Il Palio di Siena, espaço cívico medieval, onde acontece o famoso Il Palio, local de disputa entre os bairros históricos pelo famoso troféu IL PALIO. Esta arena tem formato semicircular, o seu desenho representa os bairros tradicionais de Siena.

Na região da Toscana, as áreas de Chianti Fiorentina e Chianti Sienense são marcadas pelo charmoso Monti del Chianti nos Apeninos que embeleza a cênica Strada Chiantigiana (SS 222). Esta via percorre sinuosamente o caminho de Florença à Siena. Fazem parte dessa paisagem encantadora: vinhedos, plantações de olivas e girassóis onde estão charmosas vilas no alto das colinas, casarios singelos cercado de plantações, igrejas no estilo romanesco e castelos históricos, propriedades dos senhores florentinos e sienenses. Esta paisagem, imortalizada pelo cinema  e literatura, faz parte do imaginário de cada um, como um cenário campestre idílico, romântico e tranquilo.

A lista de filmes com locação na Toscana é enorme, você já deve conhecer alguns deles: Sob o sol da Toscana (Under the Tuscan Sun – 2003), Aconteceu na Primavera: Forille (Fiorile – 1993), A noite de São Lourenço (La Notte di San Lorenzo - 1982), Beleza Roubada (Stealing Beauty – 1996), Chá com Mussolini (Tea with Mussolini - 1999), Uma janela para o amor (A Room with a View - 1986), o paciente inglês (The English Patient – 1996), Uma Paixão em Florença (Up at the Villa – 1999), A Vida é Bela (La vita è bella – 1997)...Que tal recordar algumas cenas do clássico filme: Sob o sol da Toscana? http://www.youtube.com/watch?v=SwfynayJd_Q.


CHIANTI

Na região de Chianti, ao longo da Via Chiantigiana, há muito que apreciar. Os núcleos mais visitados são Greve in Chianti e o povoado de Castellina in Chianti.

Você pode assistir a este vídeo e motivar-se ainda mais a visitar esta bucólica e imortalizada região campestre da Itália:


Foto 4 - Via Chiantigiana em Castellina in Chianti – A estrada que liga, de forma sinuosa, Florença e Siena

Como chegar na Área de Chianti

No centro de informações turísticas em Florença ou até mesmo no seu hotel, você terá conhecimento de várias excursões e passeios que incluem esta área, cidades e vilas do entorno. Normalmente, as excursões incluem: a vila de Greve in Chianti e a pequena vila de Castellina in Chianti.

Foto 5 – Paisagem campestre em Chianti - plantações de oliveiras e vinhedos que, há séculos, fornecem os ingredientes para a produção dos famosos vinhos e pratos da região da Toscana.
 
Como já disse na postagem: Italia 2 – Florença, você pode visitar esta região de bicicleta. Há várias opções com passeios de um dia, que inclui almoço e degustação de vizinhos. Tem até opções que oferecem bicicletas elétricas. A distância é razoável para os ciclistas medianos (cerca de 30 km).

Em ônibus da SITA, você pode chegar até Greve in Chianti, cerca de 20 km ao sul de Florença, pela SS 222.


Recomendo reunir-se às excursões para visitar a área. Há muitas opções para um dia como: Pisa, Gimignano e Siena ou de meio dia. Fiz uma excursão de meio dia, que visitou Castellina in Chianti e uma propriedade produtora de vinhos com degustação incluída.


Principais produtos de Chianti

Aprecie os deliciosos e afamados produtos locais que incluem: presuntos e salames como o Prosciutto Saporito di Greve, Salame Nobile di Greve in Chianti, Bistecche alla Fiorentina di Vitellone Toscano. As bebidas são deliciosas – o vinho clássico de Chianti, vin santo, grappa, etc. Outros produtos tradicionais são: mel, oliva (a nossa popular azeitona no Brasil), óleo de oliva e vinagre balsâmico.

Foto 6 – Produtos tradicionais da Região em Castellina in Chianti.

Principais Atrações em Chianti

Em Greve de Chianti e entorno, você pode visitar adegas históricas e experimentar os célebres produtos da terra. São destaques, os castelos, as lojas de vinhos, restaurantes e cantinas históricas, tais como:

Antica Macellerìa Falorni (www.falorni.it) conhecida pelos cortes de carne desde 1729: a Vinícola Verrazano, da família do navegador florentino Giovanni da Verrazzano que explorou a costa leste da América do Norte em 1528.

Le Cantine di Greve em Chianti (www.lecantine.it)  possui uma ampla enoteca com mais de 1200 variedades de vinho entre os melhores estão “DOCs e DOCGs”. O sistema de degustação funciona com cartão pre-pago para apreciar os vinhos (wine card).

Castello di Verrazzano, 3 km ao norte, da família do navegador florentino Giovanni da Verrazzano que explorou a costa leste da América do Norte em 1528 ( www.verrazzano.com). Outra adega histórica é a Abbey of Badia di Passignano, século 11, da família Antinori  (www.antinori.it)

Castello di Montefioralle: uma vila medieval fortificada no alto da colina com uma igreja do sec 10, estilo românico, distante cerca de 3km a pé, no sentido oeste (1½ - 2 h).

Castellina in Chianti é uma vila de origem etrusca e romana, já no século 11 e está inserida na Região de Vinho do Chianti Clássico (tem por símbolo um galo negro). O campo era habitado por nobres – duques – de Florença. Castellina é uma vila encantadora, você pode percorrê-la a pé, em alguns minutos, do começo ao fim. Ver: http://www.castellina.com/

Apresento a seguir, um pequeno passeio (visão serial) em Castellina in Chianti.

Foto 7 – Castellina in Chianti - Perspectiva 1
Foto 8 - Castellina in Chianti - Perspectiva 2
Foto 9 - Castellina in Chianti - Perspectiva 3
Foto 10 - Castellina in Chianti - Perspectiva 4

Nesta área visitamos a Fattoria Santa Appiano. Fizemos uma degustação de saborosos vinhos e prociuttos. As uvas utilizadas na produção dos vinhos são a Merlot, Sangiovese, Stretto, Colorino e Tintoretto. Experimentamos os seguintes vinhos: Sangiovane e Secretum Rose (100% sangiovese); Chianti Basico (tinto), com 90% da uva sangiovese e 10% merlot; Cottaccio (rosso) com 100% Sangiovese: Monteloro (Rosso) com 90% sangiovesi e 10% colorino. Para maiores informações ou encomendas: http://www.santappiano.it/eng/index.php

Foto 11 - Chegando a Fattoria Santa Appiano
 Foto 12 – Dentro da Adega da Fattoria Santa Appiano
Foto 13 – Degustação de prociutto e vinhos da casa na Fattoria Santa Appiano.
Foto 14 – Alguns dos deliciosos vinhos toscanos produzidos pela Fattoria Santappiano.





BOLONHA (BOLOGNA) – Região da Emilia Romagna

A Bolonha fica na Região da Emilia Romana, delimitada pela Região da Toscana ao Sul e a Região de Veneto ao Norte.


Bolonha (Bologna em italiano) é uma bela cidade medieval, capital da culinária. Ela é conhecida como “La Grassa” – A gorda. A sua cozinha é celebrada nesta terra do famoso spaghetti bolognese. Possui um grande centro universitário, que abriga uma das universidades mais antigas da Europa (1088) que atrai uma numerosa população estudantil. Os célebres Dante, Boccacio e Petrarca estudaram na sua Universidade. Alguma intenção de conhecer ou estudar nesta renomada Universidade? Conheça o site oficial: http://www.unibo.it/Portale/default.htm


Foto 36 – Sede da Universidade de Bologna (1088) uma das mais antigas e prestigiadas do mundo, fundada em tempos medievais (1088).

Foi uma cidade etrusca em 510 a.C e colônia romana no século 2 A.c. Já no século 12, era uma cidade próspera e independente. Durante a segunda guerra mundial foi bombardeada intensamente pela sua posição estratégica em relação ao norte da Itália e também pela importância do seu centro urbano.


Bologna é vibrante, promove grandes eventos culturais e cultiva sua gastronomia, apreciada em grande numero de bares, cafés, tratorias. Conhecida pela agitação e militância política comunista foi apelidada de “La Rossa”, o que significa “vermelha”, fama adquirida tanto pela posição política de esquerda quanto pela cor avermelhada dos edifícios.

Para os apreciadores das artes como música e cinema, Bologna sedia grandes festivais internacionais. Ela foi considerada pela UNESCO como a Cidade da Música em 26 de maio de 2006, pela promoção da música, em todos os gêneros, como instrumento de inclusão social: desde a clássica até jazz, eletrônica, opera, etc. Também os festivais de cinema são famosos como o Il Cinema Retrovato, que acontece na Piazza Maggiore, entre 21 de junho a 30 de julho. Ver sobre este festival em: http://www.cinetecadibologna.it/vedere/festival


O Centro Histórico de Bologna manteve-se bem preservado graças a uma política eficiente de conservação nos anos 70. A ambiência é harmoniosa com uma mistura de monumentos e exemplares de arquitetura, tais como torres medievais, portas medievais, edifícios antigos, igrejas e o desenho de seu centro histórico onde destacam as famosas galerias de cor terra.

Para entender o sucesso da conservação de Bologna ver os projetos e planos oficiais de Bologna: http://www.comune.bologna.it/psc/

Foto 37 - As Arcadas de cor avermelhada, perto da Piazza Maggiore em Bolonha.

Alguns dados gerais (aproximados) de Bologna:

População da Cidade: 390. 000 habitantes (sétima cidade mais populosa da Itália)

População da área metropolitana: 1 milhão de habitantes (reconhecida oficialmente pelo governo como cidade metropolitana)

Área: 140 km2


Como chegar em Bolonha?


De Florença, pegue o trem na Estação de S. M. Novella  e cerca de 45 minutos depois você está na Estação de Bolonha Central. Para chegar até o centro, você pode  pegar o onibus 25 ou 30. De Roma, a duração de viagem é de 3 horas no trem rápido.

No sentido norte-sul, a Via dell’Indipendenza liga a estação de trem ao coração da cidade: Piazza Maggiore – o coração da cidade.

Foto 38 – Porta Galliera, próxima a estação de Bolonha, uma das várias portas da Bolonha medieval.

O Centro de informações turísticas fica na Piazza Maggiore e na Estação de Trem. O site turístico oficial de Bolonha é: http://www.bolognawelcome.com/.

Acesse o mapa de Bolonha e planeje seu roteiro: http://www.bolognawelcome.com/en/map

O site oficial do governo é: http://www.comune.bologna.it/.


Produtos da Região


Você pode fazer um roteiro gastronômico, que inclui visitas às deliciosas lojas gourmets e compras das delícias de Parma (à 88 km de Bologna) e outras áreas produtoras próximas. Alguns produtos são famosos como o rei dos queijos: o parmigiano reggiano, o prociutto di Parma, o aceto balsamico... Para informações sobre os produtos e excursões gourmet, visite o site: http://www.parmagolosa.it/?page_id=2.


Você fica encantada com a qualidade e variedade dos produtos alimentícios encontrados nos Mercados de Bolonha. Um sonho para os que apreciam uma boa culinária. Uma visita ao Mercado delle Erbe é imperdível. Ficamos impressionadas com a variedade de tomates, pêssegos e outras frutas e legumes. Minha irmã, técnica em gastronomia, não parava de fotografar os produtos, principalmente os tomates.

Foto 39 - Mercado delle Erbe – um dos mercados mais tradicionais e populares de Bolonha.

Foto 40 - Produtos no Mercado delle Erbe que enriquecem a famosa gastronomia local.

Aproveite e encomende o seu lanche no mercado por um preço inacreditável, depois sente-se em algum lugar para degustar estas delícias. Veja a lista dos produtos do Mercado na página: http://www.mercatodelleerbe.it/index.php?page=home .


Eis a nossa lista dos produtos degustados: os queijos deliciosos como o parmigiano reggiano (pasmem: por apenas 18 euros o quilo), o percorino toscano e a grana de pasto. Vários tipos de olivas, tamanhos e cores, diversos prociuttos, e claro, para acompanhar o vinho da terra. Não sobrou nenhum espaço para a “macarronada a bolonhesa” de tão satisfeitas que ficamos.

Foto 41 - Produtos no Mercado delle Erbe – você encontra todos os produtos típicos da região com preços imbatíveis.

As principais atrações em Bolonha são:

PIAZZA MAGGIORE/ PIAZZA DEL NETTUNO/PIAZZA RE ENZO

Este é o coração da cidade. Diversos edifícios notáveis demarcam a Piazza Maggiore: Pallazo d’ Accursio (Palazzo Comunale); Palazzo del Posdestà, Pallazo dei Banchi, Palazzo dei Notai e a Basilica di San Petronio. O Pallazo del Re Enzo (sec 13), na vizinha Piazza del Re Enzo, foi construído como extensão do Palazzo del Podestà.

Foto 42 – Vista geral da Piazza Maggiore – A direita, a Basílica de São Petrônio, ao fundo o Palazzo dei Banchi e a esquerda o Palazzo del Podestá. Hoje tem cinema gratuito em Bolonha.

O Palazzo Comunale, sede de governo desde 1336, apresenta uma mistura de estilos. Destaca-se a escada de Bramante (século 16). Fora do Palácio, 3 largos painéis mostram fotos de dezenas de partidários mortos na luta contra a ocupação alemã, durante a segunda guerra mundial.

 Foto 43 – Palazo d’Accursio (Palazzo Comunale), sede do Governo. A direita, Palazzo dei Notai (sede da antiga e poderosa corporação dos “Notaries”.

Foto 44 – Palazzo Podestá (uma reconstrução realizada no século 15 de um palácio do século 13). A torre é uma obra prima de Master Alberto. O centro de informações turísticas funciona neste local.
Foto 45 - Palazzo dei Banchi, desenhado por Vignola na segunda metade do século 16. A fachada imponente pretendeu esconder as vielas estreitas do mercado que fica atrás.

Na Piazza del Netuno está a extraordinária obra de Giambologna (1566)- Fonte de Netuno, embeleza e demarca o território, fazendo parte do conjunto Piazza Maggiore. Giambologna inovou na arte escultórica, criando obras cheias de movimento e de uma finalização primorosa. Diversas obras suas estão em Florença, como a “Estátua Equestre de Cosimo I” e o “Rapto das Sabinas” na Piazza della Signoria (Veja no Blog -  Italia 1 – Florença).


A fonte representa o simpolo do poder papal na terra associado ao Poder de Netuno que governa as os mares (águas). Aos pés de Netuno estão os querubins, representando os rios mais importantes dos quatro continentes até então conhecidos: o Ganges, o Nilo, o Amazonas e o Danúbio.

Foto 46 – A extraordinária obra de Giambologna que concebeu o deus Netuno cheio de movimento e vida governando as águas em associação com o poder papal que governa a terra, Piazza del Netuno
Foto 47 – Detalhe da sereia na fonte de Netuno na Piazza do mesmo nome – primor no detalhamento e no acabamento.


A Basílica di San Petronio (6ª maior basilica do mundo 132x66x47). Um fato interessante é que a falta de consenso de vários arquitetos resultou em uma fachada inacabada (até hoje). No prédio, ver a porta de 1425 (A Virgem e o Menino), o afresco das capelas e o gigantesco sundial (relogio) que comprovou as deficiências do calendário juliano. Esta igreja tem sido alvo de potenciais atentados terroristas (2002; 2006) por abrigar um afresco do século 15, que expõe uma cena de Dante Alighieri onde Maomé está sendo torturado no inferno.


São Petrônio foi o oitavo bispo de Bolonha e liderou a igreja bolonhesa entre os anos 431 e 450. O Santo exerceu diversos cargos públicos antes de abraçar a vida religiosa. Foi responsável pela reconstrução da cidade de Bolonha, que havia sido devastada por Teodósio I e pelos bárbaros.

Foto 48 – Basílica de São Petrônio, considerada a 6ª maior basílica do mundo com mais de 130 metros de comprimento e mais de 60 metros de largura.


QUADRILATERO (Sul e oeste da Piazza Magiore)


À leste da Piazza Maggiore (o conjunto de ruas em volta da Via Clavature) está a antiga Bologna Romana. Há deliciosas lojas gourmets e mercados com produtos tipicos da Emilia Romana na Via Drapperie e ruas do entorno, perto da Piazza Maggiore. Próximo está o Palazzo Mercanzia, belo palácio em estilo gótico (1384).

Foto 49 – O belo palácio gótico Palazzo Mercanzia, na Piazza della Mercanzia.
Foto 50 – A loja gourmet do Gilberto é fantástica – Um diversificado e qualificado estoque que estimula o paladar para apreciar os sabores regionais. 

Vale fazer uma visita aos mercados, onde se encontra a riquíssima produção agro-alimentar local como no Mercato delle Erbe (Via Ugo Bassi) e Mercato di Mezzo (Via Pescherie Vecchie), perto da Piazza Maggiore.

Foto 51 – Ruas estreitas e oferta de produtos frescos regionais ao longo das ruas.

Outras atrações próxima a Piazza Maggiore são: o Museo Civico Archeologico e o Palazzo dell’Archigimnasio com o Teatro de Anatomia e a Biblioteca Comunale.  
Foto 52 –Exposição no Museu Civico Arqueológico – vestígios de um passado muito antigo e de uma cultura milenar.
O Palazzo dell’Archiginnasio foi a sede da Universidade de Bolonha de 1563 até 1803. Hoje funciona a Biblioteca pública da Cidade. Depois Napoleão mudou a Universidade para o Palácio Poggi, na rua Zamboni. Hoje a universidade encontra-se espalhada no quarteirão universitário.


Foto 53 - Via Archigimnasio tendo ao lado direito a lateral da Basílica de São Petronio.

Foto 54 – Palazzo dell’Archigimnasio onde funciona a Biblioteca Comunale.
Foto 55 –Detalhe da riquíssima decoração do Palazzo dell’Archigimnasio.

A Basilica di San Domenico (1218)  guarda os restos do fundador da ordem dos dominicanos, morto em 1221. Pisano desenhou o sarcofago na Cappella di San Domenico.


QUARTEIRÃO UNIVERSITÁRIO

Em direção ao quarteirão universitário você passa pela Piazza di Porta Ravegnana – cruzamento da Via Rizzoli, Strada Maggiore e Via Zamboni. Siga ao longo da Via Zamboni para penetrar neste mundo de conhecimento e cultura.

Entre os principais atrativos desta área estão as duas torres de Bolonha, além da Chiesa di San Giacomo Maggiore e Oratorio di Santa Cecilia na Via Zamboni.


Foto 56 - Piazza di Porta Ravegnana, em direção ao Quarteirão Universitário.

Foto 57 - Arcadas no quarteirão universitário, com acesso ao Oratório de Santa Cecília.

Ao longo do quarteirão universitário você pode caminhar por arcadas com afrescos antigos.

Foto 58 –Arcadas que protegem o pedestre e arte antiga.

As torres inclinadas de Bologna - Le Due Torri são: Torre Asinelli e a Torre Garisenda. Ficam na Piazza di Porta Ravegnana. A Torre Asineli  (1109-1119) tem 97,6 metros de altura. Você pode escalar os 498 degraus e apreciar uma magnífica vista da cidade.


Foto 59 – As Torres Gêmeas de Bolonha. A Torre Asinelli, passa por um processo de restauração.
Foto 60 –Lojinha na base da Torre Asinelli, Bologna.






CONCLUSÃO
Toscana e Emilia Romagna estão marcadas pela produção de alimentos, arquitetura e hábitos seculares criando e consolidando uma paisagem cultural deslumbrante: singela e campestre, urbana e artística.
A Toscana superou todas as minhas expectativas e transformou o sonho em uma beleza concreta que expressa uma síntese de relacionamento perfeito entre o sítio natural e o sítio construído – na realidade um único ambiente, repleto de excelência na sua arquitetura, comida,  bebida conformando uma belíssima e impar paisagem.
Siena é uma jóia preciosa na Toscana – preservada em sua ambiência medieval. A Piazza del Campo – é para mim o modelo simbólico de piazza – perfeita em seu desenho e função. Representa o marco referencial e ícone maior da Toscana, o lugar perfeito para todas as atividades e todos os encontros.
Bologna me surpreendeu pelas suas raízes e cultura milenar etrusca e romana e pela sua capacidade de conservar o seu patrimônio inestimável através de seus projetos e planos. A ambiência de Bologna é quase que uniforme, tendo como elemento integrador as suas galerias de cor vermelha “rossa”. Os seus mercados e produtos são de alta qualidade – uma expressão viva de sua rica gastronomia.
Bem, visitar a Toscana, exige muito mais tempo pois ela tem muito mais para você apreciar.
Um brinde com um Chianti clássico: “Uma boa estadia na Toscana e Bologna”.
Santamaria



SIENA

De acordo com a lenda, Siena foi fundada por Sênio, filho de Remus (lembram dos gêmeos Romulus e Remus, fundadores de Roma, que foram amamentados por uma loba?). Esculturas da loba amamentando os gêmeos, em vários lugares de Siena, resgatam esta lenda.
Foto 15 - Loba 1, segundo a lenda Siena foi fundada por Sênio, filho de um dos gêmeos fundadores de Roma que foram alimentados por uma Loba.

Na verdade, a cidade teve origem etrusca (século 1 a.C), quando os romanos estabeleceram uma colônia militar chamada Sena Julia. A riqueza da região era baseada no comércio e  negócios. Siena foi por muito tempo rival de Florença o que causou muitas batalhas no século 13.  Foi o Conselho dos 9 (1270),  políticos de Siena, que patrocinou a construção dos edifícios majestosos no estilo Sienense-Gótico, que incluem a Catedral, o Palazzo Comunale e Il Campo.

Foto 16 - Loba 2, segundo a lenda Siena foi fundada por Sênio, filho de um dos gêmeos fundadores de Roma que foram alimentados por uma Loba.

Siena teve uma grande influência política, econômica e cultural por um longo período. Seu explendor nas artes criou um padrão de excelência - Escola de Pintura Sienense - que rivalizava com as escolas veneziana e florentina. Isto aconteceu desde o período medieval até o século 14, onde se destacaram artistas como Duccio di Buoninsegna and Ambrogio Lorenzetti.  A sua importância religiosa é incontestável: foi terra natal de quatro papas (Alexandre III, Pio II, Pio III e Alexandre VII) e dois santos (Santa Catarina e São Bernardino).

Entretanto, as lutas internas e externas com a rival Florença, causaram  o seu declínio.  Mais ainda, a praga assolou Siena em  1348 e matou dois terços de seus 100 mil habitantes. O período de declínio continuou ao longo dos séculos seguintes sob o domínio da família Médicis. Em 1557 Siena perde a independência.

Podemos atribuir a conservação da maravilhosa ambiência urbana e arquitetônica, predominantemente gótica, que sobreviveu intacta em grande parte, a esta fase de declínio. A histórica Siena ainda permanece cercada, em grande parte pelas muralhas medievais, que marcam os 8 originais portões da cidade.

Foto 17 – Caminhos que mantém a maravilhosa ambiência urbana preservada desde a idade média.

O Centro medieval de Siena, considerado Patrimônio Mundial, é cheio de edifícios majestosos, muitas igrejas  e pequenos museus que abrigam uma riqueza de trabalhos de arte. 

Foto 18 – Piazza del Campo – Um dos ícones mais preciosos de Siena, o lugar histórico e coração da cidade.

Siena promove desde o século 17 - sem interrupção por mais de 350 anos – a famosa e histórica corrida de cavalos – Il Palio, que acontece na famosa praça – Piazza del Campo. Trata-se de uma grande festa histórico-cultural onde representantes de 10 dos 17 bairros tradicionais da cidade disputam o Estandarte da Vitória (Il Palio) com os seus cavalos, estandartes e trajes típicos. A Corrida acontece duas vezes por ano: 2 de Julho (Il Palio di Provenzano, em honra da Madonna di Provenzano) e 16 de agosto (Il Palio dell”Assunta - em honra da Assunção de Maria). O evento é precedido por uma procissão religiosa – Corteo Storico – que atrai pessoas de todo o mundo. Se você puder programar a visita a Siena durante este período, vivenciará um espetáculo inesquecível. Veja o vídeo sobre IL PALIO:

Foto 19 – Fotografias do Il Palio em uma loja de Siena – a célebre e histórica corrida de cavalos que acontece há mais de 350 anos

Os bairros (contradi) mantém suas tradições seculares nos seus símbolos e insígnias, cores, profissões, rivalidades e alianças com outras casas. Entre os símbolos das casas estão: o ganso, a águia, a coruja, o dragão, a girafa, etc.  Veja sobre esta tradição e escolha seu time, quer dizer bairro: http://www.aboutsiena.com/Palio-races-of-Siena/the-contrades-of-the-palio-of-Siena.html.

Foto 20 - Símbolo de um dos Bairros de Siena – Contrada dell’Oca – que tem como símbolo o Ganso coroado e as cores branca, vermelha e verde. Tem como patrono – Santa Catarina di Siena.

Como chegar a Siena?

A melhor maneira de chegar a Siena é de trem que parte de Firenze S. M. Novella. A viagem dura cerca de uma hora e quinze minutos. Quando chegar, em frente a Estação, pegue o ônibus que vai até o centro da cidade. 


ATRAÇÕES PRINCIPAIS

O conjunto urbano de Siena é o seu maior atrativo, com elementos de permanência do séculos 13 e 14, que criam uma ambiência fascinante e permitem um mergulho no passado. São pequenas ruas sinuosas que sobem e descem, atalhos e perspectivas surpreendentes compostas por casas, praçinhas e pátios medievais.

As principais vias que seguem a curva do Il Campo são: Via di Città e Via Banchi di Sotto (segunda curva) e Via Cassato di Soto e Via del Porrione que terminam na Piazza del Campo.

Para melhor organizar o roteiro em Siena, identifiquei  4 (quatro) conjuntos de áreas e suas principais atrações.

AREA 1 - PIAZZA DEL CAMPO (Il Campo) – O centro cívico e social, desde meados do século 14. Seu pavimento é dividido em 9 setores, representando os membros do “Conselho dos Nove”- conselho administrativo de Siena.

Apresento a seguir algumas imagens da mais linda praça medieval da Itália – Il Palio, em 360 graus:

Foto 21 – Piazza del Campo 360º – Imagem 1

Foto 22 – Piazza del Campo 360º – Imagem 2
Foto 23 – Piazza del Campo 360º – Imagem 3
Foto 24 – Piazza del Campo 360º – Imagem 4

Na parte mais alta da praça está a Fonte Gaia, do século 15, com reproduções de painéis originais de Jacopo della Quercia. 

Foto 25 - Fonte Gaia, do século 15, com reproduções dos painéis de Jacopo della Quercia, na Piazza del Campo.

No parte mais baixa da praça fica o  elegante Palazzo Comunale (Palazzo Pubblico) ou Prefeitura, exemplar magnífico da arquitetura gótica sienense. O nivel mais baixo da fachada do palácio reproduz  uma arcada caracteristica do estilo Sienense-Gotico.
Foto 26 - Palazzo Pubblico, um exemplar magnífico da arquitetura gótica sienense, na Piazza del Campo.
Torre del Mangia: Graciosa Torre do Sino com 102m de altura. Foi concluída em 1290.

No Museo Civico   funciona no Palazzo Comunale - há salas ricamente decoradas por artistas da escola Sienense como a sala del Mappamondo,  com a Maestà (Virgem Maria - 1315) criada por Simone Martini’s. Na Sala dei Nove estão os afrescos didáticos de Ambrogio Lorenzetti , retratando alegorias do bom e mau governo. Ver mais em: http://www.sienaonline.com/siena_museo_civico.html


AREA 2 – PIAZZA DEL DUOMO e SAN GIOVANNI (ENTORNO)

O complexo chamado Il Duomo, na Piazza del Duomo, compreende a Catedral, o Batistério, a Cripta e o Museu. A Catedral de Siena é uma das mais belas igrejas góticas(1196-1215) da Itália – Catedralle di Santa Maria Assunta, padroeira de Siena.

Foto 27 – A Catedral de Santa Maria Assunta emociona pela beleza de sua fachada, uma das mais belas igrejas góticas do mundo.

A fachada magnífica em mármore branco, verde e vermelho foi iniciada por Giovanni Pisano e terminada no século 14. Os mosaicos da parte do frontão superior  das fachadas foram adicionados no século 19. As estátuas dos filósofos e profetas de Pisano são cópias, os originais estão no Museo dell’Opera Metropolitana. Richard Wagner, o célebre compositor e músico ficou emocionado quando visitou esta Catedral em 22 de agosto de 1880 e confessou entre lágrimas: “Esta é a maior emoção que tive diante de um edifício”.

Foto 28 – A torre em mármore branco, verde e vermelho da Catedral di Santa Maria Assunta.

CRIPTA – Suas paredes foram completamente cobertas por  “pintura a seco”, no período anterior ao ano de 1200. Há quase 200 metros quadrados de obras que retratam as histórias bíblicas.


BATTISTERO DI SAN GIOVANNI (1316-1325) – Fica oposto a cripta e tem fachada gotica inacabada. O interior é ricamente decorado de afrescos. Existe uma fonte de marmore de Jacopo della Quercia, decorada com painéis de bronze de vários artistas sobre a vida de  São João Batista, tais como Lorenzo Ghiberti (O Batismo de Cristo e São João na Prisão) e Donatello (A Festa de Herodes).



Foto 29 - Magnífico Batistério (1316-1325), exemplar do estilo gótico sienense. Fica atrás da basílica.
SANTA MARIA DELLA SCALA – Antigo hospital, transformado em um grande museu.

Para mais informações sobre Il Duomo ver: www.operaduomo.siena.it.


AREA 3 – SANTA CATARINA DI SIENA

Santa Caterina di Siena (1347-1380) é a padroeira de Siena e a co-padroeira da Europa. Na época, a Itália estava envolvida em disputas políticas e religiosas, que envolviam o papado. A santa  lutou pela unidade e pacificação da Itália, convencendo reis e líderes a buscar a paz. Convenceu o papado, que estava sediado em Avignon, na França a voltar para Roma. Apesar de ser analfabeta produziu um legado cultural e foi considerada doutora da igreja.

Igreja (Chiesa) di San Domenico: Santa Caterina di Siena fez os seus votos nessa imponente igreja (Piazza San Domenico).


Foto 30 - A imponente Igreja de San Domenico, onde Santa Caterina de Siena fez os votos.
Foto 31 - Via Santa Caterine, caminho para a Capela da Santa. Observe o símbolo do Bairro Bairro Contrada dell’Oca nos estandartes, luminárias e brasões.
Na Cappella di Santa Caterina estão os afrescos de Sodoma retratando eventos de sua vida. A cabeça da santa é mantida em um tabernáculo do século 15, acima do altar.  Santa Catarina morreu em Roma, onde está preservado a maior parte do seu corpo. Numa pequena caixa, a direita da capela, está guardado o seu polegar e o chicote.

Foto 32 - Capella di Santa Caterina que guarda algumas relíquias do corpo da Santa.


Na Casa di Santa Caterina, onde a santa nasceu e viveu com seus pais, as salas são decoradas com afrescos e pinturas de muitos artistas sienenses, incluindo Sodoma (século 15).

AREA 4 – PALAZZI

Ao longo da Banchi di Sotto está o Palazzo Piccolomini,  siga até o palácio Renascentista abriga os arquivos da cidade. Retorne à Piazza del Campo e siga ao norte na Banchi di Sopra, passe pela Piazza Tolomei, onde se destaca o  Palazzo Tolomei, do século 13. Mais adiante, está a Piazza Salimbeni delimitada por vários palácios.

Foto 33 - Alguns palácios de Siena, ao longo da via Bianchi di Sotto, ao fundo o Palazzo Piccolomini em puro estilo renascentista florentino.
Foto 34 - Palazzo Tolomei – do século 13, em estilo gótico.
Foto 35 - A estátua de Sallustio Bandini,  fundador da biblioteca de Siena, na Piazza Salimbeni. Observe os estilos gótico e renascentista.
AREA 5 – PIAZZA SAN FRANCESCO – ORATÓRIO DI SAN BERNARDINO

São Bernardino de Siena (1380-1444), o “Apóstolo da Itália”, foi um missionário, reformador e economista escolástico. Nasceu numa família nobre de Albizeschi na cidade toscana de Massa Marittima. Depois de cuidar dos doentes durante a grande peste em Siena em 1400, ingressou na ordem franciscana. Tornou-se um pregador brilhante e popular. Exerceu uma vida missionária austera e sempre recusava todos os cargos oferecidos.

Ao longo da Via dei Rossi, está a Chiesa di San Francesco, com sua nave ampla e simples.  Na Piazza San Francesco, ao lado da igreja está o  Oratorio di San Bernardino com o pequeno museu de arte religiosa.  

Foto 1 Il Campo (Piazza del Campo) em Siena, um dos maiores ícones da Toscana, onde acontece a histórica corrida de cavalos – Il Palio, há mais de 350 anos ininterruptos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário